Este trabalho tem como objetivo realizar uma avaliação que baseia-se na análise do posicionamento pessoal e profissional de quem responde, levando-se em conta as seguintes competências: empreendedorismo, conformidade a regras, desenvolvimento de pessoas, gerenciamento de conflitos e poder de negociação.

Inicialmente, é importante conhecermos o Franqueador, aquele que detém a marca e que dela fez seu negócio.

Principais perguntas a serem realizadas, lembrando que estas variam conforme o tipo do negócio:

FRANQUEADOR:

  • Qual a Missão de sua empresa?
  • Quais são os Valores?
  • O que é esperado de um futuro franqueado?
  • Qual o perfil de franqueado adequado para sua marca?
  • Quais as características pessoais ele deve possuir?

FRANQUEADO:

  • Qual o motivo da escolha desta marca?
  • Qual sua identificação com a mesma?
  • Cite algumas características pessoais que podem vir a agregar valor no seu dia-a-dia na condução do negócio.
  • Quais os valores mais fortes que guiam suas ações?
  • O que você entende por gestão de pessoas?

Mais do que um negócio, um sonho. Porém, um sonho com investimento financeiro, o que contribui para aumentar, ainda mais, as expectativas do lado do candidato à franquia.

Atuais e futuros franqueados acreditam ou acreditavam que possuir uma franquia era tudo o que aquela ou a outra revista diziam: fácil de administrar, sem experiência exigida, vem tudo pronto, praticamente uma mina de ouro.

E, normalmente, ao adquirir uma franquia:

·        Trata-se da primeira oportunidade do candidato a franqueado em administrar um negócio.

·        O mesmo não possui experiência ou conhecimento no segmento que deseja atuar.

·        Alguns escolhem a marca por modismo na maioria das vezes, sem uma avaliação prévia.

·        Possuem pouca experiência em gestão.

E é justamente com estes itens que o franqueador deve realizar uma conversa franca junto a cada pretendente.

Além de expor números é uma oportunidade para checar-se:

·        O quanto o interessado entende de Gestão de Negócios e de Pessoas;

·        Qual sua identificação com o segmento no qual deseja atuar;

·        O quanto seu perfil está adequado ao negócio, pois há regras e procedimentos para serem seguidos;

·        Os tipos de negócios nos quais já atuou ou investiu;

·        O seu “tino” comercial.

Neste momento o franqueador já consegue tirar suas conclusões sobre a vinda, ou não, desta pessoa para a rede.

Além disso e como complemento, a aplicação de um teste comportamental pode ser o diferencial para a confirmação da participação do candidato no negócio.

E qual a importância de se aplicar e conhecer o estilo comportamental de uma pessoa?

O comportamento de uma pessoa é parte integral e necessária de quem ela é. Em outras palavras, grande parte do nosso comportamento vem da nossa “natureza”, enquanto muito deriva de nossa “criação” ou da forma como fomos educados. O mapeamento comportamental analisa este estilo, isto é, a maneira como a pessoa atua. Descreve as diferentes formas de como as pessoas abordam os problemas, as outras pessoas, seus ritmos e procedimentos.

O estilo comportamental de uma pessoa não é o que a torna boa ou má, certa ou errada.

Reconhecer diferenças comportamentais pode exercer impacto imediato e positivo sobre a comunicação, a resolução de problemas, a motivação de um grupo, o autoconhecimento, etc., o que fará toda a diferença para os resultados, por exemplo.

O real entendimento entre as partes, desde o início, torna o processo mais efetivo e claro, pois mais do que o uso da marca, infraestrutura, kow-how, etc., será uma PARCERIA.

Dúvidas sobre sua empresa? Não deixe para depois , contate-nos agora mesmo.